top of page

PERGUNTAS FREQUENTES

QUEM PODE FAZER A CIRURGIA BARIÁTRICA?
 

A indicação é baseada no IMC (índice de massa corpórea), doenças associadas e tempo de doença.

 

O IMC é calculado através da divisão do peso pela altura ao quadrado (altura x altura).  

 

* IMC acima de 40 kg/m² , independentemente da presença de doenças associads.

 

* IMC entre 35 e 40 kg/m² na presença de doenças associadas a obesidade.

 

* IMC entre 30 e 35 kg/m² na presença de comorbidades que tenham obrigatoriamente a classificação “grave” por um médico especialista na respectiva área da doença.

 

Além disso, o histórico de 2 anos de obesidade, com tentativas convencionais de emagrecimento que não tiveram sucesso ou que houve recidiva do peso. 

O QUE FAZER QUANDO HÁ REGANHO DE PESO APÓS A BARI?

Um dos maiores medos de quem faz a cirurgia bariátrica é não conseguir sustentar os resultados a longo prazo. Passados os primeiros 18 meses da cirurgia, é normal haver algum grau de recuperação de peso - ganhar de 5 a 10% de peso, de forma lenta, pode ser considerado normal.

 

Se o reganho de peso se inicia no primeiro ano de pós-operatório, se algumas das comorbidades retornam, a perda de peso da cirurgia foi abaixo do esperado ou existe reganho de peso acima de 30% do volume perdido após a cirurgia é necessário buscar atendimento para uma avaliação clínica e multidisciplinar.

 

Nessa avaliação conseguimos determinar se existe algo de errado coma cirurgia que necessite de uma revisão cirúrgica (aumento do tamanho do estômago, passagem ampla entre intestino e estômago, por exemplo).

 

A obesidade é uma doença crônica e não existe nenhuma vergonha quando isso acontece. O mais importante é procurar ajuda da sua equipe para que possamos te auxiliar da melhor forma possível.

QUANDO A DOENÇA DO REFLUXO NECESSITA DE CIRURGIA?

Existem 3 situações em que indicamos a cirurgia para o tratamento da doença do refluxo gastroesofágico:

 

Presença de complicações como estreitamento do esôfago (estenose), úlcera de esôfago secundária ao refluxo ou esofagite de Barrett.

 

Presença de hérnia de hiato gigante - acima de 6 cm.

 

Pacientes que não conseguem ficar sem medicação sem que haja retorno dos sintomas.

 

Claro, que o paciente deve ser avaliado como um todo para pesarmos riscos e benefícios do tratamento cirúrgico.

COMO É E PARA QUE SERVE O TESTE EXPIRADO DE HIDROGÊNIO?

O teste respiratório do Hidrogênio fornece informações sobre a digestão de determinados açúcares, como a lactose ou açúcar de frutas (frutose). Isto ajudará a determinar se o paciente é intolerante a esses açúcares. Além disso é o exame utilizado para diagnóstico de supercrescimento bacteriano no intestino delgado (SIBO)

 

 

O gás hidrogênio do corpo é produzido a partir das bactérias intestinais. Estes micro-organismos, normalmente no intestino grosso, produzem hidrogênio através de fermentação de carboidratos – como os usados para o teste. O Hidrogênio é absorvido em parte pelo intestino e é então exalado pelos pulmões pela respiração normal, sendo coletado para análise pelo aparelho. 

 

A interpretação dos resultados do teste respiratório do hidrogênio expirado depende do açúcar que é utilizado e o padrão de produção de hidrogênio após a sua ingestão.

bottom of page